Slider

Sermão Abraão Romanos 4

            Vemos tais situações nas histórias de Caim matando Abel. Jezabel assassinando profetas. José sendo invejado pelos próprios irmãos. Absalão mostrando-se solidário aos problemas dos israelitas, pretendendo com isso, conquistar o povo e destronar seu próprio pai. A mãe de dois discípulos que deseja um lugar destacado para seus filhos no Reino dos céus. Hamã buscando o destaque da posição, pois anseia ter o poder, estes são alguns exemplos, há inúmeros outros.

            Talvez você pense: “não há nada bom no Homem?”, a resposta é: “sim, claro que há”, mas não há virtude humana que lide com o pecado humano. Há apenas uma maneira de ser redimido

Transição:

E Paulo, o apóstolo no capítulo três de Romanos, falou sobre essa pecaminosidade do Homem e também sobre a redenção. Sustentado pelo Antigo Testamento ele reafirmou que “não há um justo sequer”. O gentio não é justo sem a Lei, assim como o judeu também não o é, mesmo sendo obediente à Lei, pois a obediência a esta não pode trazer Justificação (3.20-22), desse modo, é dito que não há motivos para o Homem se vangloriar diante de Deus. A Lei apenas aponta o pecado, a transgressão, mas não remove a condenação dele resultante. Ela somente faz um diagnóstico preciso do ser humano, mas não cura sua enfermidade.

Decorrente disto surge uma questão “A lei então não tem valor?” A resposta paulina é “De maneira nenhuma!”. Neste momento então, Paulo insere nos seus argumentos uma história conhecida pelos judeus. Paulo retoma o Antigo Testamento, especialmente o capítulo quinze do Gênesis e fala sobre o patriarca Abraão, e sobre a Justificação que este recebeu quando creu em Jesus.

 Abraão foi justificado antes da Lei ser revelada à Israel no Sinai. Ele está inserido na história da redenção, pois a Escritura afirma que          “Cristo é filho de Abraão” (Mt 1.1), é portanto, por meio deste homem que Paulo ensina e escreve sobre a ”Justificação pela fé em Cristo Jesus”. Então, o que Paulo tem para dizer acerca de Abraão? Quero ressaltar, portanto, três apontamentos referentes a Abraão. O tema desta mensagem é:

Tema: Abraão, um homem justificado pela Fé.

           

Primeiramente, Paulo mostra que Abraão não nasceu justificado, mas o foi quando creu em Deus (4,3).

 

Como dito no começo o pecado de Adão deixou todos os homens em uma mesma condição perante Deus. Quanto a isto Salomão em Eclesiastes escreveu: “Não há um só justo na terra, ninguém que pratique o bem e nunca peque” Ec 7.20. Portanto, o “evento” do Éden também foi determinante para Abraão, assim sendo, Abraão só pôde ser salvo, porque anteriormente esteve perdido, sem salvação.

A justificação é um ato único e não um processo, ela acontece quando se crê. É ainda externa ao homem, pois vem de fora dele, mas ocorre no seu interior (4.3,24). O homem não justifica a si mesmo, mas é justificado por Cristo. Quanto a isso Wiersbe diz que “Imputar” é um termo bancário, logo se refere a um depósito feito na conta de alguém, daí o texto bíblico dizer “foi-lhe imputado justiça”. Apesar de ser um ato, a justificação, se expressa durante o viver do justificado, (4.12), ou seja, ela é um ato visível durante uma jornada.

Aplicação:

Os homens não nascem salvos, eles são salvos quando creem, para confirmar isto, Paulo citou Abraão. A Justificação é obra da Graça de Deus. Abraão não poderia ser justificado de outra maneira, pois o pecador não tem em si virtudes ou obras que o justifiquem perante Deus. Sua moral, reputação e qualquer outra coisa admirável, servem apenas aos homens. Só Deus pode salvar. A salvação é pela fé, e está e dom de Deus juntamente com a Graça, segundo Efésios 2.8.

            O crer tem total impacto sobre a vida. Através de Gênesis sabemos sobre as transformações e aperfeiçoamento que Abraão vivenciou, pois há harmonia entre fé e prática. Logo o crer se expressar no viver. Você já creu em Deus? Há harmonia entre sua fé e sua vida?

Ressalto agora, uma segunda questão cristalina do texto, Abraão é o pai da fé (4.11,12,17).

Em Gênesis doze, Deus disse a Abraão que ele seria “pai de uma grande nação”, pois através dele Ele iria começar um povo, o seu povo. Abraão é o “pai”, pois, é dele que descende o povo de Israel, tanto no sentido genealógico, como no espiritual.

No Antigo Testamento, Deus fez uma aliança com Noé, Abraão, Davi e Israel como nação. Sendo que há uma interdependência entre essas alianças, pois todas elas caminham para um propósito maior, que é Cristo. Paulo então recorre a esta linguagem aqui em Romanos, pois diz que todos os que creem são “filhos de Abraão”, não importando se são judeus ou gentios (4.12). Pois quem crê em Deus está em aliança com Ele, e também será justificado assim como foi Abraão, por isso “Abraão, é o pai da fé”.

Aplicação:

Crer em Cristo não é viver solitário. Os séculos testemunham quantas pessoas tem crido em Cristo, você não está sozinho. O profeta Elias certa vez também achou que estivesse, mas não estava. O livro de Apocalipse mostra que são muitos os salvos. A Igreja de Jesus é a comunidade dos salvos e redimidos por Cristo Jesus, ela é feita pelos filhos de Abraão, aqueles que creem em Deus. Creia no Senhor, seja nesse sentido, um filho de Abraão.

Faço por fim, um terceiro apontamento, Abraão foi um homem fortalecido em sua fé apesar das desfavoráveis circunstâncias.

Ele enfrentou situações delicadas durante sua vida, porém diante delas sua fé não foi enfraquecida, mas fortalecida.

Na vida de Abraão há sinais suficientes que demonstram o quão poderoso Deus é. Paulo menciona que Abraão já tinha cem anos de idade, e tanto ele como Sara já não tinham mais vitalidade, mesmo assim neste cenário tomado de impossibilidades orgânicas, ele creu cheio de esperança, que Deus lhe daria o filho prometido.

Abraão não viveu alienado a respeito de sua situação, mas reconheceu suas próprias limitações, assim como as de Sara, enquanto aguardava a promessa cumprir-se (4.19), porém, mesmo naquelas circunstancias sua fé não foi arruinada. Seu coração estava tomado pela convicção de que, apesar das improbabilidades humanas, Deus continuava sendo Senhor e fiel às Suas palavras.

Lemos no texto bíblico “mas foi fortalecido em sua fé e deu glória a Deus”. Na vida de Abraão crer teve profunda relação com o esperar, portanto, fé não se configura como um momento isolado do restante da vida, aliás, o “justo viverá pela fé”, isto diz sobre uma jornada, um modo de vida que diariamente revela o crer, bem como aponta principalmente que só há vida, salvação quando se crê.

A Fé se expressa, quer na espera, quer nas improbabilidades. Fé ainda vem acompanhada de esperança, e compreensão lúcida da realidade. Abraão sabia que naquele momento era improvável Sara ficar grávida, pois eles eram muito idosos, mas mesmo assim sua convicção em Deus permaneceu firme. Por fim, fé produz contentamento em Deus, de modo que a Ele é tributado glória, foi isso que o patriarca fez: glorificou a Deus, pois estava Nele satisfeito.

Aplicação:

A vida deste homem retrata a vida de todo salvo. Durante a vida de algum modo transformado. Há quem fica embrutecido, mas há quem se torna sábio, crescido. Como você tem reagido diante das impossibilidades e improbabilidades durante sua vida? Há quem como Abraão tem clareza para fazer uma perspicaz leitura da vida, mas o faz apenas a partir da existência, tornando-se amargurado, pois é vazio de esperança e convicção em Deus.

Há ainda, quem infantilmente vive fugindo da concretude da vida e das impossibilidades e limitações que esta lhe apresenta, quando isto ocorre, vive-se um “sonho hollywoodiano”, “um mar de rosas” irreal, pois o coração foi tomado não por esperança e convicção, mas otimismos e “pensamentos positivos”.

Abraão não viveu nestes extremos, ele não fugiu, mas vivenciou as delicadezas de sua vida, no entanto não perdeu a esperança, foi fortalecido e cresceu em sua fé. Como você está nesse momento da vida? Há dilemas? Que posicionamento tem tomado frente a eles? Como está sua fé? Enfraquecida? Fortalecida?

Conclusão:

Vimos no início que o pecado foi um evento comprometedor para o Homem. Na Bíblia em todas as histórias vemos os efeitos do pecado sobre a humanidade. Abraão também é pecador, mas ele foi salvo, justificado por sua fé em Deus.

Ele não nasceu justificado, mas o foi quando creu em Deus. Abraão é também o pai da fé, e por fim, cerca de Abraão, no livro de Romanos vimos que ele é um homem justificado, porém não nasceu assim, mas tornou-se ao crer em Deus, ele é também o pai da fé e finalmente vimos que ele foi um homem fortalecido em sua fé apesar das desfavoráveis circunstâncias. Esta é a biografia de Abraão segundo o livro de Romanos, qual é a sua?

Referências

SAGRADA, Bíblia, Geográfica, 2014 (NVI)

WIERSBE, Warren. W. Geográfica, Santo André/SP, 2006 (N.T vol 1)